LUTO POR ORLANDO | O QUE APRENDEMOS COM A CRUELDADE?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io Made with Flare More Info'> 0 Flares ×

 

Acredito que muito já saibam sobre o ataque terrorista ocorrido hoje em uma boate gay de Orlando, na Flórida. Cerca de 50 mortos e mais de 50 feridos. Uma “pessoa” doente destruiu a vida de 50 pessoas e de 50 famílias. Estou profundamente triste e chocado. 

 

Mas, fatos terríveis como esse nos mostram que a luta não terminou. Mesmo com o avanço, ainda somos um alvo para demônios encarnados na Terra. Não estamos seguros, nem blindados contra a maldade.

 

Aconteceu nos EUA e pode acontecer aqui também.

 

 

Por isso, como sempre digo, não baseie a sua vida pelas redes sociais de fajutos militantes e gays perfeitos. Não se baseei em palavras vazias de youtubers bonitinhos que acreditam que a vida é uma festa. Se baseie em fatos, na vida real, e só faça o que a sua intuição mandar.

 

Infelizmente, não estamos no paraíso, mas acho possível encontrá-lo um dia.

 

ps: Como não há clima, o blog volta com novas postagens amanhã. Beijo a todos!

😥

 

Pietro Damasceno

11 Comments

  1. O que me deixa mais fudido em relação a tudo isso é que tem vários LGBTs que fazem protestos contra a Islamofobia, defendendo esses desgraçados! Gay defendendo muçulmano é o mesmo que judeu defendendo nazista!

  2. Que bom, de verdade, estou contente por vc!

    Meus pais já partiram p/ outro plano e tentei muito mas nunca consegui uma reaproximação c/ eles.

    Que bom vc compartilhar esse pedacinho da sua vida, é bom saber que algo positivo aconteceu mesmo c/ toda essa crueldade que ocorreu.

  3. Aprendemos que a luta continua, nada está ganho, tivemos algumas conquistas mas a vitória está por demais distante e por isso a luta por dignidade, respeito, igualdade e tolerância continua.

    Em nosso país há maior burocracia p/ se obter armas legalizadas mas nem por isso a situação em nosso país é melhor, pelo contrário, é pior.

    Morremos todos os dias em nosso país, todo dia acontece algum atrocidade, alguma crueldade, alguma monstruosidade contra algum LGBT, contra um ser humano acima de tudo.

    A realidade é muito dura mas também acredito: “Infelizmente, não estamos no paraíso, mas acho possível encontrá-lo um dia.”

    E por isso a luta continua.

  4. Aprendemos por experimentarmos TODOS OS DIAS que o nosso mundo está uma M… os lugares acabando, a violência crescendo. Até os lugares considerados seguros estão sombrios. Mas continuemos a luta. Abraço a todos
    Athos/Rio de Janeiro

  5. Olá!

    Apesar desse fim de semana ter sido muito sombrio pra todos q são civilizados, em especial aos LGBT pela crueldade ocorrida em Orlando.

    Preciso contar positivo q aconteceu mesmo com toda escuridão que foi esse fim de semana.

    Tenho quase 22 e sou da capital do meu estado, só q estudo e trabalho no interior, foi lá no interior q conheci o meu namorado, ele também é da capital mas trabalha no interior.

    Sou gay assumido só pros meus pais e uns pouquíssimos amigos, minha mãe levou um tempo mas aceitou e estamos bem de novo.

    Mas o meu pai não aceitou, ao menos não brigou, não me bateu, não me expulsou mas não falou mais comigo.

    A boa relação q tinha com meu pai acabou, não fazemos mais nada juntos e nossas conversas são pontuais, frias, curtas, ele só fala o mínimo necessário comigo.

    Nesse fim de semana o meu namorado e eu voltamos à capital pra vermos nossas famílias.

    Apesar da horrível tragédia nos EUA, decidimos por tentar de alguma forma manter nossas mentes boas e seguir o combinado e passar o domingo passeando juntos na capital como um casal de namorados.

    Ao voltar pra casa dos meus pais no início da noite, fui ao meu quarto me preparar pra voltar ao interior e o meu pai veio me procurar.

    Pediu licença, entrou no meu quarto, eu estava desligando o notebook e juntando umas roupas, perguntou se podia sentar na minha cama, sentou e pediu pra eu também sentar.

    Me olhou nos olhos e comentou: “Filho você tá sabendo daquela coisa monstruosa que aconteceu nos EUA, né?”

    Respondi que: “Sei sim, foi uma atrocidade que acabou comigo e estragou o fim de semana, o dia dos…”, nessa hora me policiei e me censurei, não completei que o dia dos namorados não podia ser legal naquele clima pois sabia que o meu pai não me aceita.

    Pra minha grande surpresa ele na mesma hora complementou: “O seu dia dos namorados foi ruim depois daquilo não foi?”

    Respondi que sim, foi totalmente ruim e ele: “É sobre isso que preciso falar com você meu filho”

    “Então filho, eu vi umas reportagens dos noticiários lá dos EUA mesmo e aquilo me comoveu muito, vi entrevistas de mães e de pais preocupados por não acharem os filhos, não saberem se os filhos estão bem e na hora lembrei de você”

    “Esse nosso mundo anda tão perdido, podia ser você que não voltaria mais pra casa, podia ser eu lá, mais um pai perdido procurando pelo filho que não vai voltar”

    “Vocês já sofrem tanto nesse mundo doido que não aceita vocês, não é certo eu sendo o seu pai também não te aceitar, desculpa meu filho, desculpa aqui o teu pai”

    Eu nessa hora já tava chorando ouvindo o meu pai dizer aquelas palavras, ele me puxou e me abraçou bem forte e ele também se emocionou.

    No próximo fim de semana o meu namorado e eu temos um almoço na casa dos meus pais, poderei apresentar o meu mozão pro meu pai, minha mãe já conhece e aprova.

    Esse fim de semana foi muito cruel e muito sombrio pra todos nós mas mesmo toda essa desumanidade não conseguiu impedir que algo bom acontecesse.

  6. Certamente somos a minoria mais perseguida que se há no mundo. Em algumas sociedades LGBT’s conquistaram avanços nos direitos civis, mas a vida real ainda continua dura, árdua e difícil em diversos lugares no planeta. O que aconteceu em Orlando fere todos os gays na face da terra.

  7. No brasil a coisa já tá feia a muito tempo, vide o índice recorde mundial de assassinatos de LGBTs. Quem precisa de muçulmanos quando se tem cristãos homofóbicos que fecham os olhos para o que já acontece aqui a muito tempo.

  8. evitei tocar nessa ferida em outros comentários, tentei seguir o dia dentro da normalidade que foi possível

    também estou bem triste e bem mexido por esse ato cruel e desumano

    tivemos conquistas e vitórias ao longo dos tempos mas ainda falta bastante, ainda há um longo e árduo caminho a se peregrinar pela luta da igualdade, do respeito e da tolerância

  9. Prezados,

    Estou chocado com esse acontecimento, sinceramente. 🙁
    Passei o dia inteiro com um vazio no estômago. Hoje abraçarei minha família e me darei por satisfeito por estar vivo.

    Abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *