OS MELHORES DE 2017

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Se eu tivesse uma posição expressiva dentro da putaria filmada, daria a alcunha de porn star apenas para um grupo seleto. É cada pangaré nos estúdios hoje em dia.Os astros de verdade acabam rolando no mesmo chiqueiro.

 

No ano quem vem vou mudar isso, pelo menos por aqui. Não é qualquer michê que transa em frente às câmeras que terá será chamado de star. Vamos dar dignidade aos putos que nos fazem gozar.

 

 :::

 

2017 foi um ano movimentado no Porn World. Não lembro de tantas cenas filmadas, tantos cus e picas recém-chegados em um único período. E tivemos um material muito bom. Fico feliz porque a arte do sexo profissional não pode morrer… antes de mim.

 

Vocês sabem que amo um ranking e a lista dos melhores do ano já é tradição aqui no blog. Escolhi, dentre tantos verdadeiros talentos, os melhores porn stars de 2017.

2018, seja muito melhor?!

 

 

 

JOHNNY RAPID

O lolito dos lolitos, o pequeno príncipe do pornô. Johnny virou um fenômeno na indústria mas, na minha opinião, vinha caindo vertiginosamente. O boy parecia meio cansado, meio confuso. Se meteu em encrencas com a justiça mas ressurgiu.

Lindinho como sempre, mostrou que também sabe foder. Como passivo melhorou muito, permitindo que rolas grossas, como as de Cliff Jensen e Myles Landon, arregaçassem de verdade a sua bundinha macia. 

Soube que ele está em uma nova fase em relação à sexualidade. Pelos resultados, Johnny provavelmente se encontrou.

 

BRYSEN, da Sean Cody

Brysen foi um achado. Os produtores da Sean Cody acertaram em cheio. Além de belo e gostoso, Brysen alimenta a nossa fantasia com cenas fortes e verdadeiras. Preferencialmente ativo, o gato foi perfeito em duas cenas levando rola no rabo. 

 

SHAW, da Sean Cody

Shaw é a nova puta da produtora Sean Cody. Começou com “gay for pay” ativo, foi “desviginado” pelo fofo Tanner, e agora só quer dar a bunda. Gosto muito das mordidas que ele dá nos lábios enquanto é penetrado. Sua performance com o dotadão Sean, e o negro lindo Landon, são excitantes e esteticamente perfeitas.

 

CAIO VEYRON

Caio segue um padrão: o negro magrelo, dotado e socador. Um padrão imposto pela comunidade gay e refletido nas produções eróticas. Apesar disso percebi que o brasileiro estava inspirado nesse ano. Fodeu com maldade, fodeu gostoso, fez o que deve ser feito. Sua parceria com o passivo Henrik Sommer ainda não saiu da minha cabeça. Divina!

 

JONATHAN MIRANDA

Soube que ele não vai com a minha cara mas não preciso enaltecer o garoto. Ele é a síntese do macho que nasceu pro sexo e faz disso uma filosofia de vida, sem se importar com regras e julgamentos sociais.

Jonathan brilha como passivo, mas suas cenas versáteis (com Dano Guerre e Jake Cook) atestam o que escrevi acima.

 

CHUCHO MARTIN

O que dizer sobre o Chucho? Não sei. Sei que homenageei todas as cena deles e rezo para que 2018 segure esse puto nas nossas fantasias.

 

DAMIEN CROSSE

Meses atrás escrevi sobre a “decadência” de um dos maiores astros da história do pornô gay. Talvez estava enganado, mas aquele momento não parecia muito bom na vida do grande Damien.

Exclusivamente fodendo pela Tim Tales, o sacana entregou o melhor da sua longa carreira.

Damien está há 13 anos no mercado e tem fôlego pra mais 13. Alguém duvida?

 

ACE ERA

Ace é aquele tipo de macho que deve ouvir: –Nossa, você é gay? Que desperdício!

Azar o seu, hétera! O loiro é o verdadeiro exemplar do gay libertário, sedento por sexo e porra.

 

LOGAN CROSS

Pergunte-se: “Eu gostaria de meter meu pau no cuzinho desse garota?” Já sabemos a resposta, não?

Logan destacou-se em cenas quentes com o dotadão Austin Wilde e na série polêmica da Mormon Boyz.

 

 

CRISTIAM SAM

O argentino…

Que argentino!!!

Cristian preencheu uma lacuna que estava aberta e incômoda. Machos com pegada agressiva, viril, “hétero”, faltavam no circuito. Mas nada de “gay for pay”. Cristian é gay e ponto.

 

ANDY STAR

Não há como descrever o Andy porque é nítida a ascensão meterórica que ele teve em 2017. E eu já dizia isso quando ele fazia aquelas cena toscas da Hot Boys e da Meninos Online.

Só nesse ano, Andy fez a chuca fez mais cenas que porn stars consagrados já fizeram em toda a carreira. Oscar pra ele!!!

 

JUSTIN BRODY

Justin não se considera do pornô. Segundo ele, a sua entrada no sexo pago se deu por graves questões finaceiras e pelo sonho de ser um artista da música(?).

Ele pode ter outros talentos, mas nasceu pra transar profissionalmente. Suas performances são um misto de romance com pegada forte, desejo ardente e paixão. Justin faz sexo em frente aos outros como se trepasse na intimidade de quatro paredes. Natural, envolvente, safado e gostoso.

Na minha finíssima opinião ele é o melhor porn star do ano.

Infelizmente, dizem que já se aposentou. Mas deixou um pequeno legado.

 

 

 

Boas surpresas em 2017: Diego Reyes, Leo Luckett, Austin L. Xanders, Tyson Costa, Bradley Whitman, Beaux Banks, Titus, Dano Guerre, Blake Mitchell, Bo Sinn, Pierce Paris.