MINHA ROLETA-RUSSA SEXUAL

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Venho ensaiando esta “confissão” já faz um bom tempo. Desde julho, pra ser mais exato.

 

Julho foi o mês em que todas as minhas certezas e preocupações foram por água baixo. Esqueci dos meu lemas, dos meus medos, passando a me comportar como um adolescente alienado que “caga” para as regras e para o próprio futuro.

 

Eu transei sem camisinha!

Não por uma ou duas vezes, nem com uma ou duas pessoas. 

Me coloquei em situações de risco simplesmente porque queria sentir a maior carga de prazer possível. E não culpo o fato de ter bebido além da conta, ou ter cheirado poppers mais do que devia.

Apesar do senso crítico prejudicado, parei e pensei por alguns segundos antes de meter meu pau no cu gostoso de um cara que eu nunca tinha visto na vida. A possibilidade de sentir cada centímetro do seu esfincter, cada pelo do seu rabo faminto, me fez atravessar a linha tênue e brincar de roleta-russa. Sim, foi como foder com uma arma apontada pra cabeça, e este fato não foi necessariamente ruim naquele momento.

 

Obviamente, como tudo que é gostoso, o vício foi certeiro. Foi como redescobrir o sexo, ou realmente fazê-lo de verdade, em toda plenitude. Em outras duas ocasiões me deixei dominar, sem querer saber censuras e julgamentos.

Embora cada foda fosse uma experiência sensorial incrível, o medo e o arrependimento começaram a me puxar do fundo do poço para abraçar a razão. Simples como acordar, mas com uma ressaca moral do cacete.

 

Nas semanas seguintes evitei a lamentação. Uma punição por eu apertar o botãozinho enganoso do foda-se. A liberdade nem sempre é parceira.

Decidi que deveria passar pela dúvida e pelo receio como o adulto que não fui. Mas, reaprender com a ansiedade não é nada fácil.

 

Esperei o dia certo e fui me testar. Estava tranquilo, até resiliente, caso o resultado mudasse a minha vida pra sempre.

Deu negativo. Por enquanto. 

Ainda preciso refazer tudo daqui há algumas semanas para um resultado confiável. 

 

Como sempre falo sobre prevenção – criticando muitas vezes o bareback e a indústria do sexo que o transformou em regra – achei que seria hipócrita da minha parte não compartilhar a minha falha. 

 

Aprendemos com experiências próprias mas a “merda” alheia é um ótimo livro didático.

É só ler com carinho.

 

16 thoughts on “MINHA ROLETA-RUSSA SEXUAL

  1. Tava só de brinks Pietro, desculpa se pareceu que tava te pondo na parede sobre saber idade do Saudolindo, desculpa era tom de brinks somente Pietro 😀

  2. Oh God Pietro que bafão que risco mano, puxa vida que bom que tá limpo depois dessa maluquice, sexo no pelo eh bom mesmo mais não dá pra arriscar dar uma merda dessas na vida que a gente só uma!
    Um beijão carinhoso em vc Pietro e por favor mente sã e se proteja mana querida!

  3. Pietro meu amor torço pra que tudo siga bem aí 🤗

    Seu post me dá uma boa reflexão, o tesão devasso do sexo sem limite eh um super risco, todos temos que ter cuidado e cabeça no lugar

    A idade do Saudosista eh um mistério pq ele não responde, concordo que ele sabe escrever mas isso sozinho não faz dele em velho senhor, eu chuto que ele eh até mais jovem do que nós imaginamos

    O Pietro sabe mas não diz guarda segredo 🤭 😆

  4. Isso Pietro, conta sobre suas aventuras, a maioria das pessoas já foram irresponsáveis. Eu mesmo, o senhor medroso de DST (inclusive fiz todos os meus exames esta semana), já fez coisas impensáveis. Uma vez, um GP se apaixonou por mim, conversa vai, conversa vem, falamos que éramos negativos, vimos nossos exames na internet. Bebemos um pouco, quando vi, estávamos trepando sem camisinha. Ok, havíamos vistos os exames um do outro, mas querendo ou não era um profissional do sexo. Outra vez, trepando com um carinha, pedi ele em namoro enquanto metia nele (Ok, hj eu sei que não é o melhor momento hahaha), ai ele demorou para responder (disse que não esperava ser pedido em namoro por mim), ai eu brochei pq pensei que não tava a fim, ele pegou meu pau murcho, começou a estimular e sentou nele sem capa, como forma de dizer “sim”, começamos a namorar (durou uns meses), mas nunca questionamos os nossos status de HIV (estava apaixonado). Terminamos, eu trouxa, dois meses depois encontro com ele (estava namorando e me contou que havia transado com o seu atual sem camisinha e posteriormente descobriu que o namorado dele era positivo e não havia lhe contado), estava surtado com medo de ter contraído o vírus, eu trouxa ajudei etc… (não vou detalhar, pq já escrevi um textão hahah). Diz a lenda que ele não se contaminou, porém hoje eu questiono se ele não era soropositivo e não quis me contar e por sorte eu não contraí o vírus.

  5. Pietro, conta pra gente todos os detalhes intimos dessas experiencias….rs

  6. Te entendo perfeitamente! Já experimentei algumas vezes, mas sempre depois do sexo batia o arrependimento e a culpa… Percebi que esses sentimentos eram bem mais duradouros que o prazer que o sexo bare proporciona. Hoje, perco a foda, mas não transo sem proteção.

  7. Cara, é uma segunda chance que o destino tá de dando. Me ajuda a te ajudar. Quando der muita de fazer essas loucuras, vá num grupo de ajuda, desabafe aqui no blog ou vá se exercitar (correr). Dizem que a energia sexual pode ser gasta com exercícios físicos de longa duração. Eu testei algumas vezes e deu certo. Toda vez que eu corro 4, 5 km dá menos vontade de fazer sexo, chego em casa exausto obviamente rs Conheça seu próprio corpo, seus limites. Não brinque dessa forma com sua vida. Recuse pauzudos carimbados, recuse suruba, apague números do seu telefone. Isso também é amor próprio. Vc vai ver que no final vai valer a pena. Hoje em dia não dá pra confiar nem em namorados fixos, que dirá em parceiros casuais. Fique bem!

  8. Eu não o critico por vários motivos.
    Vc teve vontade foi e lá fez, vc tinha opções: lamentar por não ter feito e lamentar por ter feito, não o julgo, não estou aqui para isso.
    Todos com que eu comento dizem que o sexo na pele é maravilhoso, e acredito que seja mesmo, afinal a camisinha por mais fina que seja não deve dar a mesma sensação que a pele na pele dá.
    Eu nunca fiz sexo sem camisinha, mas confesso aqui que não consigo mamar com ela, é estranho demais e nesse caso prefiro correr o risco.
    O importante é que vc está bem, foi gostoso (muito gostoso pelo que vc escreveu) e segue o baile.

  9. Olha, eu acho que mais de 90% dos gays ja experimentaram fazer no pelo e so nao assumem porque sao hipocritas. Todo mundo sabe que é mil vezes mais gostoso sentir pele na pele – os heteros que o digam, pois a maioria so faz sem. A minha preocupação hoje em dia é que tem gente que diz tomar prep e não toma, hiv + que se diz negativo e “toma” prep, as outras doenças que dizem ser trataveis, mas daqui a alguns anos criaram resistencia aos medicamentos. Estamos realmente numa roleta russa.

  10. Reza a lenda que hoje o HIV é mais uma doença crônica do que uma sentença de morte, principalmente para quem a contrai após os 30. De qualquer jeito, sobram remédios e preocupações. Prefiro não.

    Minha política é de minimizar riscos.

    Procuro transar sem camisinha apenas com quem conheço MUITO bem (conto nos dedos de uma mão as pessoas que transei sem) e mesmo assim estou apenas diminuindo os riscos. Sexo sem camisinha é ótimo e cada um deve com conviver com as consequências.

    Espero que você fique bem, sem ou com o vírus.

  11. Parece que o jogo virou. Vc adora botar regra agora sentiu o gosto do próprio veneno. Bicha boba carimbada que reclama do médico tá na cara pq tá doente. Seu veneno é docinho?

  12. OMG q loko vc Pietro!! Faz mais isso não Pietro!!
    Gosto de vc quero vc sempre saudável atualizando seu mega blog!! Tamo combinado mana? 😀
    Quantos anos Saudosista tem hein Pietro?
    Achei comment dele bem profundo, parece coisa de um velho senhor uma mana experiente
    Fala sua idade Saudosista não tenha vergonha se vc já for um velho senhor, tenho mó respeito pelos mais experientes
    Meu vô querido foi única pessoa da família que me ajudou depois que me expulsaram de casa quando me assumi, aprendi muito vivendo com meu vô
    Pietro vc tá melhor da saúde? Ví lá no outro post, tomara que o outro remédio ajude mais
    Mandarei daqui energia positiva pra vc, beijão Pietro!! 😀

  13. Nossas vidas são construídas c/ decisões e nessa sucessão de escolhas se espera por resultados favoráveis ou c/ menos prejuízos.

    Por mais que tenhamos alguma experiência, busquemos alguma maturidade, cometer algumas loucuras acaba acontecendo e assim vamos vivendo e aprendendo c/ os resultados das nossas escolhas.

    É aquele clichê “ser inteligente é aprender c/ os próprios erros e ser sábio é aprender c/ os erros dos outros”.

    Embora informação esteja mais acessível há muita gente se arriscando e o post é mais um toque bem útil, mais um bom alerta e realmente “É só ler com carinho”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *