LEITADA NA CARA COM JAKE MCKENROTH

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Ou assista aqui.

 

 

*****

E COMO EU DECIDI TOMAR TRUVADA

 

Os mais antigos por aqui talvez irão me chamar de hipócrita, porque já escrevi sobre o Truvada negativamente. Quero deixar claro que a minha questão nunca foi pelo remédio. A preocupação sempre foi pelos “efeitos colaterais” que a “liberdade” proporcionada por ele poderiam causar.

 

Ainda bem que com a idade certas teimosias e convicções, antes tidas como inabaladas, podem ser revistas. Foi o que fiz. Sentei, pesquisei, li, uma, duas, várias vezes. Entendi finalmente o conceito do remédio– que passa longe da lorota vendida pela indústria pornográfica e do bareback livre dos escravos “felizes” do entretenimento masturbatório.

 

Mesmo assim não tomei nenhuma decisão. Busquei apenas conhecimento prévio na possibilidade de que algum fato novo servisse como gatilho para que eu embarcasse, ou não, nesta experiência.

O tal fato, obviamente, ocorreu. 

 

Os detalhes são desnecessários. Eu havia conhecido um cara e fomos para um encontro “como se deve”, tudo careta e protocolar; estou realmente afim de me envolver afetivamente, de construir um relacionamento. Porém, logo no primeiro encontro, o puto abaixou e bebeu o meu leite. Simples, ele engoliu a porra de alguém que tinha acabado de conhecer pessoalmente, dizendo que nunca tinha feito aquilo antes, fingindo ser a porra de um menino inocente fazendo a sua primeira estripulia.

 

Foi naquele momento que eu decidi tomar o Truvada porque constatei que eu não confio em ninguém e jamais vou confiar. O sexo, apesar de ser uma expressão da minha personalidade– algo igual a respirar e comer para mim– nunca foi algo tranquilo, nunca vai ser tranquilo.

 

Entendi esse processo, aceitei da melhor forma e abracei o Truvada como mais uma forma de proteção, não só do meu corpo, mas também da minha psique. 

 

De verdade, não pretendo fazer apologia ao Truvada porque acho que é um processo individual e único. Estou aberto sim, a esclarecer quem tiver dúvidas e orientar sobre o caminho correto da informação pois  conhecimento é poder.

 

O resto continua igual.

Vou ser a mesma puta de sempre.

 

13 thoughts on “LEITADA NA CARA COM JAKE MCKENROTH

  1. Pietro não critico vc por nada do post, cada um decide por si, vc tá só buscando mais prevenção 👍
    Pietro vc notou alteração do sono ou humor?? 😴😆
    E as náuseas controlada pelo dramin mudou o apetite ou alimentação?? 🤢

    Pietro tem outro ponto aqui, li mas não entendi nada do textão do Saudosista 🤔🤔
    Ele tá fazendo alguma crítica?? Será que ele também usa truvada?? Vc entendeu o que ele disse Pietro??

  2. Pietro, querido

    Tu podia fazer um post relatando todo o processo para adquirir o remedinho, tipo: como foi a entrevista, o que eles perguntam, de quanto em quanto tempo tem q ir fazer os exames e qual o intervalo para pegar a medicacao. Digo isso pq ja ouvi falar que eles nao liberam a medicacao pra todos: se vc for la e mentir, dizer que é uma puta vagaba vc consegue, se for certinho, tu nao consegue.
    Nao sei se peguei um carinha no pulo: ele diz q usa prep, so trepa sem capa e faz exames regulares de 6 em 6 meses, mas dizem q vc tem q ir la de 3 em 3 meses para os exames e medicamentos. Qual é o correto?

  3. Como eu disse. Comecei a tomar pensando a longo prazo. Se um dia eu optar por uma relação fixa provavelmente transarei sem preservativo, porém nunca vou atingir o nível de confiança na outra pessoa para fazer isso com tranquilidade.

    Além disso, já disse isso várias vezes aqui, não chupo pau de camisinha. É uma escolha que fiz desde que me iniciei sexualmente. Ou chuparia no pelo ou não chuparia nenhum. Isso não quer dizer que recebo gozadas na boca de todo cara que mamo. Isso ocorreu raríssimas vezes na minha vida e de pessoas euqe eu “poderia cobrar” a conta.

  4. Pietro me lembro bem de tudo que disse, mas me diga, como é em SP o processo para tomar a truvada, só pelo SUS ou já podemos ir no médico particular e ele receitar?
    Eu sempre quis usar como uma forma a mais de proteção, ainda mais depois de tive 02 dst’s (nunca fiz bare) mesmo tomando vários cuidados, vc se sente tão vulnerável, então por isso, eu gostaria de tomar, não conheço ngm que tome, vejo muita gente dizendo que toma e fazendo bare, na verdade eu acho que não tomam e jogão esse papo, se colar colou, mas o meu interesse é saber o processo.

  5. Curti mto o post Pietro, concordo com vc, não é crime mudar de opinião

    Todo mundo precisa sim ser menos apegado nas suas opiniões, nas suas certezas pra poder sim estar aberto pra novos conhecimentos repensando suas próprias opiniões 🤔

    Não usei truvada, fujo da idéia de usar por medo, tenho mta vontade de fazer sexo sem camisinha pra ver se eh mais gostoso, sei que eh uma loucura esse meu desejo curioso e usar truvada provocaria mais essa minha curiosidade

    Pietro meu querido devasso também curti o comment do Saudosista, que texto bom tipo de alguém com uma visão bem distinta e madura feito vc Pietro, vcs 2 são gays bem conscientes e curto ler vcs 😃

    Qtos anos tem o Saudosista, ele eh mto mais velho que vc Pietro?

  6. O corpo é seu, portanto suas regras. Até acredito que vc não vai fazer apologia, mas a questão é tão complexa. Respeito sua decisão. Eu honestamente não tomaria esse remédio. A comunidade ainda não se habituou com o básico que é camisinha, que mata dois coelhos com uma cajadada só: o hiv e as dsts. A gente que gosta de putaria flerta com a morte o tempo todo, seja através de encontros com estranhos ou do sexo onde o boquete é sempre sem camisinha. Aquilo que a gente puder fazer pra se proteger, a gente tem que colocar em prática. Se pra vc, tomar Truvada é uma segurança a mais, beleza. Vá em frente! Cada um sabe das suas necessidades.

  7. Na primeira semana os efeitos colaterais são bem chatos. Tive náuseas, mas geralmente sinto náuseas por qualquer coisa. Agora, já não sinto mais nada. As náuseas foram acalmadas com Dramin.

    E eu não vou parar de usar camisinha, que fica claro.

  8. Mudar seria hipocrisia?
    Considero um privilégio a capacidade de mudar de opinião ainda mais nos dias atuais em que estão raríssimos o respeito e a tolerância p/ conviver c/ outras opiniões.
    Buscar informações, rever conceitos, ter humildade p/ reavaliar sua posição, analisar novamente c/ o novo prisma e finalmente reconhecer sua nova opinião.
    Que bom é isso acontecer! Que ótimo pode mudar!
    Vejo isso como um processo natural do aprendizado, do crescimento, da evolução, do amadurecimento que conseguimos c/ o passar dos anos de vida.
    O truvada é mais um aliado na prevenção que em conjunto c/ os demais métodos preventivos forma uma gama bem positiva.
    “Conhecimento é poder.”

  9. Madame eu sempre recusei o truvada por medo dos efeitos colaterais ,dou parefência pela camisinha . E aí madame ,vc teve realmente os efeitos. Conta pra mim !Bjos de luz

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *