LEVEI A MINHA TIA HOMOFÓBICA PARA O BLOQUINHO DE CARNAVAL

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Nada como ver dois machos barbudos se beijando, para algumas pessoas perceberem que estão no século 21. Nada como ver sapatões masculinizados se acariciando, para algumas perceberam que certos comentários são podres e desnecessários. Nada como pular abraçado a uma travesti, para algumas pessoas perceberam que homossexualidade não é doença, nem falta de vergonha.

 

A homofobia da minha tia é daquelas que nasceram pela ignorância. A ignorância na palavra literal. De alguém que nasceu no interior do interior, que não se desenvolveu intelectualmente, que se contenta em dormir, comer e ver a vida passar. Não é o tipo de homofobia daqueles nascidos na cidade grande, em berços dourados e com acesso a tudo e a todos. Esses sim me preocupam e me entristecem. Eles eu combato até no murro se precisar. 

 

Quanto ao bloco, foi interessante perceber que as coisas realmente mudaram para a minha tia. Ela, que já foi espiã do meu cu, se divertiu com pessoas que já serviram de chacota e reprovação no passado. 

 

Por isso viados que eu peço paciência.

As coisas vão mudar.

 

ps: não peguei ninguém.

2 thoughts on “LEVEI A MINHA TIA HOMOFÓBICA PARA O BLOQUINHO DE CARNAVAL

  1. O passar do tempo, percepção das mudanças e a própria convivência contribuem ao combate do preconceito e da homofobia quando se originam da ignorância.

    O difícil é quando parte justo do pessoal de berço a homofobia e o preconceito são fundamentados, são justificáveis c/ base em preceitos e crenças.

    Ainda é tenso mas antes já foi pior, o andar do tempo tem trazido evolução e melhorias.

    Gostei do post, Pietro.

  2. É isso aí! Eu tô numa vibe de não querer discutir com ngm por causa de sexualidade. Se a pessoa aceita/respeita, ok. Se não aceita, tudo bem tmb. Meu pai é mega super ultra master homofóbico. Enquanto vê as cenas do casal da novela das 8 (Samuel e Cido), ele profere absurdos e impropérios. Eu amo meu pai, mas ele é insuportável quando se trata de preconceitos. Principalmente com nordestinos. Quando ele fica bêbado, é 5x pior porque ele fala aquilo que ele não tem coragem (?) de dizer quando está sóbrio, aí imagina….hoje a minha família vai almoçar fora pq é aniversário do meu irmão. Já tô até me preparando psicologicamente pra sair com ele. É um teste de paciência ficar ao lado de alguém como ele. Minha mãe é mais tolerante, mas por ser Pastora não aceita. Da última vez que meu irmão foi na casa da minha tia, os dois discutiram feio pq ele teve a péssima ideia (sabendo como a minha tia é) de exibir na televisão da sala dela vídeos da youtuber Lorelay Fox (Draq Queen). Desastre total. O que era pra ser um feriado feliz em família, se tornou um festival de climão. Ele disse que nunca mais vai voltar lá. Bom, e assim eu vou vivendo. Quando vejo algo muito escroto, combato mesmo. Mas na maioria das vezes, evito conflitos pq é desgastante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *