A PRIMEIRA VEZ QUE EU FUMEI MACONHA

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

 

Primeiro: este post não é uma apologia ao uso de drogas. Não recomendo, principalmente se você não tem a mente fortalecida. Este é apenas um relato.

 

Nunca cogitei experimentar drogas porque as drogas destruíram a minha família. Estiveram presentes na minha infância, no cheiro forte do álcool, exalados por um pai fraco e ausente. Anos depois, o crack seduziu o meu irmão, que depois se rendeu ao “prazer ” da cocaína. Associei a droga ao ódio, à destruição e às lágrimas. Porém, nos últimos anos comecei a ter curiosidade. Será que a sensação é tão boa que faz com que as pessoas acabem com os que dizem amar?

 

Se você quiser ter uma noção sobre o uso recreativo da maconha ande por alguma faculdade. Por lá diferentes tribos se juntam por um desejo comum. Normalmente, em algum gueto pelo campus, você vai encontrar o playboy do papai dividindo a ganja com o loiro seboso que usa dreads. Neste gueto, a turma “alternativa” a qual me afeiçoei, se reúne antes da aula pra “acalmar” a  mente e “relaxar” o corpo.

Certo dia, a socialização estava ampla e alunos de diferentes anos estavam ali para queimar a sativa. Eu, apenas observando, senti meu coração acelerar quando ele chegou. Rapidamente se entrosou na roda, pegou o fumo e tragou. Senti uma ponta de decepção por  perceber que ele não é  um nerd certinho porém gostei de saber que ele é aberto à experiências. Quem sabe qualquer dia desses ele não deixa eu tragar o pau dele também.

Quando ele me ofereceu o baseado eu acordei dos meus sonhos eróticos. Aquele olhar avermelhado me penetrando, aquela boca que podia estar colada na minha…

Ele é hipnotizou.

Peguei o beck meio desajeitado, como quem pega um pau pela primeira vez.

Traguei, expeli. Traguei, expeli. Traguei, expeli. E nada.

Enquanto uns estavam em outro “plano”, e outros riam de qualquer coisa, eu fiquei ali com cara de bosta, sem a mínima reação.

Sim, a marijuna passou despercebida pelo meu sistema nervoso. E eu achei péssimo. Foi como olhar a foda alheia e não poder usar as mãos.

Juro, fiquei revoltado. Mas estreitei a relação com o gostosinho.

Nunca saio ileso mesmo.

4 thoughts on “A PRIMEIRA VEZ QUE EU FUMEI MACONHA

  1. Posso afirmar com TODA CERTEZA DO UNIVERSO.
    Você fumou “errado” já usei umas 3x e puta que me pariu, o “baguio” é louco…LITERALMENTE!
    Confesso que não gostei em nenhuma das 3x,dai vc deve está se perguntando porque ele usou? CARALHO NEM EU SEI RESPONDER! Ansiedade? Pressão? i don’t know. A única coisa que sei é que não tenho vontade de usar de novo.
    Uplust.com/deadpooluncut

  2. Eu já provei algumas vezes, pela mesma razão: Homem. O que todos dizem é que nas primeiras vezes dificilmente se sente algo….e no meu caso foi fato, provei umas 3 vezes e nada, daí pensei….tô tranquilo, posso continuar sem me preocupar e fico mais próximo do maconheiro gostoso com rola perfeita (até ali eu já tinha acompanhado ele no mictório)….foi então que na 4a ou 5a vez que fumei senti o “tal barato”…..percebi que não é mesmo pra mim, não curti em nada a sensação, a leseira total que me bateu…..resumo: no final do curso fiz TCC com o gostoso e numa das “reuniões” de grupo caí de boca naquela rola deliciosa enquanto ele fumava o seu baseado relaxadamente. Depois disso nunca mais voltei a fumar maconha…….quanto a cair de boca numa rola já não posso dizer o mesmo (hehehe)

  3. Aí seu Pietro, já tem um crush no campus, tá vendo, questão de tempo!
    Nunca experimentei nada, não rola vontade, e olha que sempre que vou a praia sinto o cheio de maconha que me dá um enjoo e saiu de perto, mas o uso está tão “comum” que vejo pessoas fumando pela rua normalmente como se estivessem fumando o cigarro industrial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *