ASTROS PORNÔ EM BREVE NA MTV

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O “True Life”, uma espécie de reality e documentário produzido pela MTV americana, exibirá um episódio dedicado aos gays for pay que atuam no mercado erótico. Vadim Black e Sean (Sean Cody) tiveram parte de suas vidas documentadas, além dos bastidores das produções dais quais participam.

Pelo trailer divulgado, podemos ver a namorada do lindo Vadim e a esposa (e filhos?!) do dotadão versátil Sean. Ambos são adeptos da prática bareback quando estão em cena.

Essa é uma situação sempre polêmica. Muitos acreditam que homens podem se pegar e continuarem héteros, desde que haja algum retorno financeiro ou material. É como se o dinheiro fosse um “Viagra mental” e ao mesmo tempo uma “pílula do esquecimento” para as ações passadas.

 

Eu já parto do seguinte princípio: o ser humano é gay ou bissexual. O único problema é que isso é considerado errado por dogmas religiosos, refletindo na sociedade em geral.

 

Agora, por mais que a orientação sexual seja 50% afeto, não dá pra dizer que um cara que fode com outro, transa com a bunda e bebe porra, é hétero só porque ele diz ser. Mesmo que trepe com a mulher mais gostosa do mundo quando chega em casa.

 

O problema desses atores, michês e outros homens de um modo geral, é admitir a atração por uma pessoa do mesmo sexo e assumir esse sentimento para família e amigos. É como se o dinheiro fosse repelente contra a viadagem.

“Ah, ele come uns viados na sauna, mas é só por dinheiro, continua homem”.

Eu não engulo mais esse caroço de manga. E vocês?

O programa ainda não tem data para ir ao ar. Enquanto isso, confiram o trailer!

f814de7610d395f3cea59b4bb54bab18
Também sou hétera!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E veja Sean sendo “HÉTERO” em recente cena para Sean Cody.

Dá pra baixar aqui.

Pietro Damasceno

11 Comments

  1. Mentira deles, $40,000 era o pagamento do Billy Herrington e do Jeff Stryker por 4 cenas + punheta nos anos 90 quando a industria pornô ainda gerava dinheiro. Até uns 5 anos atrás se pagava $2,500/cena aos REALMENTE bons, o pagamento atual fica entre $500 e $800 e eles ganham dinheiro de verdade fazendo gogoboy e escort.

  2. Bom, respeito o seu ponto de vista, mas não concordo. Por que será que esse meninos cometem suicídio? Os números não param de subir.

    Obrigado pela dicas! bjs

  3. É perfeitamente possível um cara heterossexual manter relações sexuais com um homem, sem que perca sua heterossexualidade. Isso porque ser gay ou bi não tem relação absoluta com quem você transa, mas trata-se, em verdade, de uma condição, uma identificação. Esses caras não se identificam como gays ou bi, mas como héteros e assim vão ser.

    O Brandon, da Sean Cody, que é a maior puta do site, bem como Curtis, um dos modelos mais antigos do site, e que também já fez de tudo, são héteros na “vida real”. Inclusive Curtis casou-se há pouco tempo e no Facebook dele tem fotos com a esposa.

    Brandon disse no Twiiter oficial dele que toda a sua família sabe o que ele sempre fez e faz e que todos o amam. Além disso, disse que ele adora o trabalha na Sean Cody, mas que ele não sente o prazer genuíno por outro homem e que vai se casar com mulher, ter filhos etc…

    A questão é que esses garotos são meio vida locas e a Sean Cody paga muito bem seus modelos. Conversei com Blake pelo Facebook e ele disse que o dinheiro foi decisivo para aceitar fazer, que ele nem pensou muito. (Há relatos de que a SC paga 40 mil dolares (muita grana) para seus modelos mais tops fazerem 9, 10 cenas). Esses modelos são pessoas que tem trabalhos comuns, que não ganham muito. Quando se deparado com uma proposta dessas, acabam fazendo. Alguns heteros se arrependeram, como Stu, que odeia tocar no assunto…ele trabalhava carregando malas num hotel.

    A grana fala mais alto.

  4. Outra coisa que temos que mudar, é a mania de rotular as pessoas.
    Não importa se o cara se diz hétero, gay ou bi.
    Importa que faça seu trabalho bem feito.

  5. Homen hétero jamais da o cu, não tem dinheiro que pague, se diz hetero e todos com o cu aberto iguais a uma boca banguela gritando obaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

  6. Talvez seja só eu, mas vamos imaginar que o pornô hétero pagasse muito mais do que o gay. Eu, um homem gay, (que já fiz sexo com mulher quando não estava fora do armário), ia preferir ganhar pouco fazendo cenas gays do que fazer sexo com mulher para ganhar mais.
    Que eles sejam atraídos afetivamente por mulher, eu até concordo, mas negar a atração sexual por homens é subestimar a própria inteligência – porque a nossa eles não enganam.
    Se vocês assistirem a ultima cena do Sean, verão que a entrega dele em cima de um pau foi muito superior a de vários atores héteros que amam as bucetas que comem nas suas cenas.

  7. Realmente paga melhor. Muito melhor que a hétero. O valor que se paga pra um homem na indústria em uma hétero é muito inferior a um homem na gay. Até mesmo atores masculinos que já possuem um nome consolidado na indústria hétero chegam a receber um valor bem baixo se considerarmos novamente uma comparação com a gay. Enfim, de todo e qualquer modo, se esses “Gays For Pay” se dizem héteros, por quê não vão pra indústria pornô hétero ? Ora bolas, se esses rapazes são héteros não transariam com outros homens. Pietro, que porra de heterossexualidade é essa desses “Gays For Pay” ? Certamente a heterossexualidade enganosa que muito gay por aí compra e gosta.

  8. É, isso tem um pouco de verdade mesmo… na indústria hétero, a mulher é o foco, enquanto o cara – no máximo – precisa ser bem dotado. O rosto, a edição resolve cortando, kkkkk. Por isso os caras ganham beeeeeeeeeem menos! Mas essa do Sean me pegou de surpresa! Como gay4pay, ele engana muito bem! Já imaginou se os filhos dele caem aqui no blog, e descobrem que o papai não é bem um Clark Kent sem os óculos? rs

  9. Ai, Pietro! Esse negócio de “Gay For Pay” não é comigo. Sinceramente, enquanto a comunidade gay continuar aceitando isso, esses caras vão ficar com essa enrolação. “Gay For Pay” é um modo de colocar nós, os gays, pra baixo. Isso, sim. Mas como uma considerável parte dos gays gostam disso, esses “Gays For Pay” vão continuar existindo por muito tempo. Olha, lamentável! Mas enfim, já que tem gay que gosta de ser tratado de forma baixa, esses “Gays For Pays” ainda terão vinda longa na indústria pornô. Pra concluir, uma perguntinha besta, num sabe: se são héteros, como eles dizem, por quê não vão gravar então pra indústria pornô hétero ? Fica a pergunta no ar.

Deixe uma resposta